Super user

Super user


Notice: Undefined property: Joomla\CMS\Object\CMSObject::$description in /home/ativibiz/public_html/novo/home/templates/ts_news247/html/com_k2/templates/default/user.php on line 59

A Câmara Municipal de Pedro Leopoldo a partir de terça-feira, 06,  retomou suas atividades de forma presencial, porém em horário reduzido.

Desde que foi decretada a Onda Roxa , que vale em todo estado de Minas Gerais, a CMPL alterou seu horário de funcionamento, que permanece em regime de plantão, das 8 horas da manhã ao meio dia.

Após a Casa ter tido casos de COVID-19 confirmados entre seus servidores, funcionou em regime de “Home-Office” durante a semana do dia 29 de março ao dia 2 de abril, período em que foi realizada a devida desinfecção do prédio.

Estamos tomando todas as medidas de segurança para com todos os servidores da Casa, para podermos retornar às atividades normalmente. Agradecemos a compreensão de todos.

As reuniões ordinárias serão mantidas nas segundas-feiras, às 18 horas.

O objetivo do decreto e da alteração da rotina de trabalho é restabelecer, com velocidade, a capacidade de assistência hospitalar do estado e a contenção da evolução da pandemia.

Fiquem atentos e respeitem as normas de restrição e circulação.

O último boletim epidemiológico da secretária municipal de saúde de Pedro Leopoldo nesta quinta-feira (08), confirma  63 novos casos de  coronavírus,  10 óbitos sob investigação no momento.

Pedro Leopoldo tem agora 6599 casos notificados, 3308 já cumpriram o isolamento de 14 dias e 187 seguem sendo monitorados. 72 óbitos foram confirmados. Pedro Leopoldo confirmou mais 63 novos casos em decorrência do coronavírus. 

 Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) afirmou que 32 países e territórios das Américas notificaram a presença de pelo menos uma das três “variantes de preocupação” do vírus SARS-CoV-2, que causa a COVID-19, de acordo com uma nova atualização epidemiológica.

Essas variantes podem aumentar a transmissibilidade do vírus e sua virulência ou diminuir a eficácia das medidas de saúde pública e sociais ou diagnóstico, vacinas e terapêutica, embora ainda haja muito a ser aprendido sobre elas.

As medidas atuais para reduzir a transmissão - incluindo lavagem frequente das mãos, uso de máscaras, distanciamento físico, boa ventilação e evitar aglomerações ou ambientes fechados - continuam atuando contra as novas variantes, reduzindo a quantidade de transmissão viral e, portanto, reduzindo também a probabilidade de mutação do vírus.

Os países e territórios que notificaram uma ou mais dessas variantes são Argentina, Aruba, Barbados, Belize, Brasil, Bonaire, Canadá, Ilhas Cayman, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Curaçao, República Dominicana, Equador, Guiana Francesa, Guadalupe, Jamaica, Martinica, México, Panamá, Peru, Porto Rico, São Bartolomeu, São Martinho, Santa Lúcia, Trinidad e Tobago, Turcas e Caicos, Estados Unidos da América, Uruguai e Venezuela.

Desde a identificação inicial do novo coronavírus, mais de 845 mil sequenciamentos de genoma foram compartilhados globalmente por meio de bancos de dados acessíveis ao público. “A capacidade de monitorar os dados quase em tempo real tem impacto direto na resposta da saúde pública à pandemia de COVID-19, permitindo identificar mudanças nos padrões epidemiológicos, na virulência ou na diminuição da eficácia terapêutica, entre outras mudanças”, pontua a atualização da OPAS.

Até o momento, três variantes – identificadas inicialmente no Reino Unido, África do Sul e Brasil e conhecidas como B.1.1.7, B.1.351 e B.1.1.28.1 – foram classificadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como variantes de preocupação em consulta com o Grupo de Trabalho da OMS sobre a Evolução do SARS-CoV-2. Variantes em outra categoria, variantes de interesse, cobrindo três tipos adicionais, foram registradas no Brasil, nos Estados Unidos e em seis outros países e territórios.

A atualização epidemiológica diz ainda que “dados os requisitos de recursos significativos necessários para sequenciar todas as amostras na região para identificar variantes, a OPAS continua trabalhando em estreita colaboração com os laboratórios dos países das Américas para ajudar a identificar as amostras que devem ser priorizadas para sequenciamento genômico”.

Até o momento, 21 países participam da Rede de Vigilância Genômica COVID-19, com laboratórios de sequenciamento de referência no Brasil e no Chile. A OPAS está trabalhando junto com os países da região para expandir e fortalecer a rede regional, pois esse mecanismo será fundamental para rastrear a propagação ou surgimento de novas variantes de preocupação. A OPAS também está apoiando estudos epidemiológicos no Brasil para entender os padrões de transmissão, reinfecção e gravidade dos casos das diferentes variantes que estão circulando.

O Ministério da Saúde do Brasil, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) discutiram neste sábado (3) uma colaboração técnica para ampliar a capacidade de produção nacional de vacinas do país. A decisão foi tomada após encontro virtual do diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e a representante da OPAS e da OMS no Brasil, Socorro Gross.

Durante a reunião, foi analisada a possibilidade de adaptar parques industriais brasileiros que desenvolvem imunizantes para animais, de modo a que possam também produzir vacinas contra a COVID-19 em humanos. Essa expansão da capacidade brasileira poderá beneficiar não apenas a população local, mas também a de outros países.

“A nossa prioridade é ampliar a vacinação. O problema de carência de vacinas não é só do Brasil. É um problema mundial. Até países desenvolvidos encontram dificuldades com o aporte de doses”, afirmou Marcelo Queiroga, acrescentando que dois grandes laboratórios brasileiros, da Fiocruz e do Instituto Butantã, têm capacidade de produção de vacinas contra a COVID-19.

Em entrevista após a reunião, o ministro da Saúde ressaltou que é necessário reforçar as medidas para evitar a circulação do vírus. “Todos sabemos que o uso de máscara é fundamental. Para tanto, é necessário que haja a adesão da população brasileira. A higiene das mãos com água e sabão, o uso de álcool em gel, evitar aglomeração entre as pessoas”, enumerou.

De acordo com Socorro Gross, essas medidas ajudam a ganhar tempo, principalmente em um momento de baixa disponibilidade mundial de vacinas. “Hoje, é momento de união e reflexão. Não temos como diminuir a transmissão desta doença se cada um de nós não aplicarmos as medidas de utilizar a máscara, sempre lavar nossas mãos, fazer o distanciamento físico e, especialmente, não ter aglomeração. Os jovens também têm uma grande responsabilidade de cuidar dos que hoje são mais vulneráveis. Hoje, é o momento em que o Brasil pode mostrar esta união. Este SUS (Sistema Único de Saúde), que é único, pode sim mudar o rumo desta pandemia”, avaliou.

No encontro, foi abordada ainda a busca por insumos estratégicos, como os medicamentos para intubação de pacientes internados com COVID-19. A pedido do Ministério da Saúde do Brasil, a OPAS está buscando esses produtos no mercado internacional. A previsão é que os medicamentos cheguem de forma escalonada em até cinco semanas.

País contabilizou 13.106.058 casos e 337.364 óbitos por Covid-19 desde o início da pandemia, segundo balanço do consórcio de veículos de imprensa. Foram 4.211 mortes pela doença registradas em 24 horas, um novo recorde.

O Brasil registrou 4.211 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horasbatendo pela primeira vez a trágica marca de 4 mil óbitos anotados em um só dia e totalizando nesta terça-feira (6) 337.364 vítimas. Com isso, a média móvel de mortes no país nos últimos 7 dias ficou em 2.775. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +22%, indicando tendência de alta nos óbitos pela doença.

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h desta terça. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

O grande registro de óbitos do dia reflete o represamento de dados do final de semana estendido após os feriados da Páscoa. Aos sábados, domingos e feriados, quando há equipes menores trabalhando, é comum que os números venham menores do que durante a semana e isso resulte em represamento dos registros, verificado nos dias posteriores.

Além do Brasil, apenas os EUA já registraram mais de 4 mil vítimas em um único dia; em seu pior momento após as festas de fim de ano, o país norte-americano anotou 4.476 mortes no dia 12 de janeiro, segundo o portal Our World in Data. Por esse parâmetro, o país com a terceira pior marca foi a Argentina, com 3.351 mortes anotadas em 1º de outubro do ano passado, segundo a mesma fonte.

Já são 76 dias seguidos no Brasil com a média móvel de mortes acima da marca de mil; o país completa agora 21 dias com essa média acima dos 2 mil mortos por dia; e é o décimo primeiro dia com a média acima da marca de 2,5 mil. O número voltou a subir nesta terça, após quatro dias em queda.

Evolução da média móvel de mortes no país na última semana. Índice voltou a subir após 4 dias em queda 

 

  • Quarta (31): 2.971 (recorde)
  • Quinta (1º): 3.119 (recorde)
  • Sexta (2): 3.006
  • Sábado (3): 2.800
  • Domingo (4): 2.747
  • Segunda (5): 2.698
  • Terça (6): 2.775

 

 

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 13.106.058 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 82.869 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 63.143. Isso representa uma variação de -16% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de queda nos diagnósticos.

Treze estados e o Distrito Federal estão com alta nas mortes: ES, MG, RJ, SP, DF, MS, MT, AP, PA, CE, MA, PB, PE e PI.

Nova rodada do auxílio emergencial tem início na data de hoje ! Cerca de 45,6 milhões de brasileiros começam a receber hoje (6) a nova rodada do auxílio emergencial. O benefício terá parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo da família.O auxílio será pago a quem recebia o benefício em dezembro de 2020. Também é necessário cumprir outros requisitos para ter direito à nova rodada.

O calendário de pagamentos foi divulgado pelo governo na semana passada. Hoje começam a receber os trabalhadores informais e inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos em janeiro. O dinheiro será depositado nas contas poupança digitais e poderá ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem.

Somente de duas a quatro semanas após o depósito, o dinheiro poderá ser sacado em espécie ou transferido para uma conta corrente.Para os beneficiários do Bolsa Família, o pagamento ocorre de forma distinta. Os inscritos podem sacar diretamente o dinheiro nos dez últimos dias úteis de cada mês, com base no dígito final do Número de Inscrição Social (NIS).

O auxílio emergencial somente será pago quando o valor for superior ao benefício do programa social.

Foi finalizada a reforma da Unidade Básica de Saúde de Vera Cruz, local que estava com a estrutura bastante comprometida. O objetivo das intervenções foi oferecer, além de conforto e segurança a usuários e servidores, melhor qualidade no atendimento à população. “Era um local que quando fomos visitar no início do ano, nos preocupou muito porque a estrutura danificada apresentava riscos às pessoas que frequentam ali. A reforma da unidade melhora o ambiente e faz a diferença para os profissionais que trabalham no local, que ficaram, inclusive, mais motivados. Além disso, vai permitir a melhoria das condições para utilização dos equipamentos e aparelhos, qualidade nas condições de acessibilidade interna e externa das UBS”, comemorou a Prefeita Eloisa Helena.

Além do reparo da trinca na estrutura do prédio, uma reforma geral em todo o espaço foi realizada. Revisão da cobertura da unidade, revisão da parte elétrica, troca de tomadas e interruptores, reforma de portas e janelas no acesso aos cômodos, reforma do gradil de acesso à unidade, revitalização e pintura em todo o prédio. A obra foi concluída neste mês de março pela atual administração.

O toque de recolher, que impede a circulação de pessoas entre 20h e 5h, e a proibição das visitas domiciliares estão suspensos em Minas Gerais. As medidas normativas fazem parte da onda roxa, implementada pelo programa Minas Consciente, em vigor desde o dia 17 de Março.

A suspensão foi firmada na tarde desta segunda-feira (5) pelo presidente Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), desembargador Gilson Soares Lemes. Participaram da audiência de conciliação o deputado estadual Bruno Engler (PRTB), o secretário-geral de Minas Gerais, Mateus Simões, o advogado-geral do Estado, Sérgio Pessoa, e o procurador-adjunto do Ministério Público, CarIos André Mariani Bittencourt.

Bruno Engler entrou com uma ação, alegando que toque de recolher viola o direito constitucional de ir e vir.

O estado concordou com o fim à limitação da circulação de pessoas e o fim da proibição das visitas sociais nos domicílios. Contudo, as demais imposições da onda roxa continuam em vigor.

A medida vale até a próxima quarta-feira (7), quando o Comitê Extraordinário de Combate à Covid de Minas Gerais se reúne para avaliar os dados.

 Foi inaugurado o  Centro de Apoio à População em Situação de Rua. A ação inédita no município tem como objetivo atender às pessoas que vivem em estado de vulnerabilidade, principalmente neste período de pandemia.

As pessoas em situação de rua terão direito às principais refeições e higiene pessoal. O local passa a funcionar a partir desta quarta-feira, 07/04, no horário de 7h30 às 17h, na Rua Comendador Antônio Alves, número 1291. Presentes a  Prefeita Eloisa, a vice Ana Paula e a Secretária de Desenvolvimento Social Cynthia Salomão.

Até a última quinta-feira, 01/04, Pedro Leopoldo aplicou 6332 doses de vacina contra a Covid-19. Destas, 1543 foram aplicadas em profissionais da saúde, 23 em idosos institucionalizados e 3245 em pessoas com 70 anos ou mais. Deste quantitativo, 1521 foram referentes à dose de número 2.

Esta semana a vacinação continua, quando as pessoas de 67 a 70 anos também serão vacinadas.

Continuaremos divulgando o início de vacinação de todas as fases, de acordo com o público-alvo, conforme especifica o Plano Nacional de Imunização e a chegada de doses para o município.

Página 1 de 3